CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS

Planta do rés-do-chão, incluindo a marcação dos pavimentos, e a separação das áreas entre público e empregados.

 

CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS

Fotografia da Caixa Geral de Depósitos publicada na altura da conclusão da obra. Único edifício dissonante da imagem preconizada para a Avenida pelo Município, a sua construção deu azo a certas reações por parte dos outros arquitetos, como Rogério de Azevedo, que ao ter de alterar o seu projeto para o Comércio do Porto, em função de uma imposição de simetria com a CGD, expressa o seu descontentamento na memória descritiva, e acrescenta uma alfinetada , quando se refere a “muitos prédios, mesmo aqueles em que o labor do canteiro supriu a imaginativa do arquitecto”.

Mais informação e fotos on-line. 

 

 

CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS

FONTE: ESPÓLIO FOTOGRÁFICO PORTUGUÊS

 

 

Avenida dos Aliados, lado nascente, em 1936

FONTE: ESPÓLIO FOTOGRÁFICO PORTUGUÊS

 

 

 

 

Caixa Geral de Depósitos - Culturgest Porto

Visita à Caixa Geral de Depósitos – Culturgest (1916/1931), com João Pardal Monteiro. Expressando um contra-projeto em relação às linhas dominantes que se foram instalando na Avenida, procura identificar-se como edifício singular representando os valores distintos de uma instituição de significado nacional. 

 

 

Alçado de Conjunto da zona VI

 FONTE: FIMS 

 

 

Edifício nº 138

FONTE: FIMS

Desenho da fachada, cortes e plantas parciais do edifício nº 138, localizado entre os edifícios da Caixa Geral de Depósitos e do Jornal de Noticias, executado por José Marques da Silva, para respeito pelo alçado de conjunto do Quarteirão VI.  

 

 

FONTE: AHMP 

Planta de implantação do Edifício do Jornal de Notícias, com indicação dos restantes lotes que fazem parte do conjunto da zona VI. 

 

 

Avenida dos Aliados, lado nascente

FONTE: ESPÓLIO FOTOGRÁFICO PORTUGUÊS

 

 

Edifício do Jornal de Notícias - alçado

FONTE: AHMP 

Fachada principal do edifício que estabelece as regras compositivas para o Alçado de conjunto da zona VI.  

 

 

Edifício do Jornal de Notícias em 1953

FONTE: FIMS 

Fotografia que mostra a inserção do edifício do Jornal de Noticias no conjunto edificado.

 

 

Edifício do Jornal de Notícias - cortesFONTE: AHMP http://gisaweb.cm-porto.pt/units-of-description/documents/100502

FONTE: AHMP  

No corte longitudinal do edifício (representado nas cores convencionais em que o vermelho corresponde a nova construção e o preto a construção existente a manter) é evidente a associação por justaposição das duas fases de construção. 

 

 

Estudos para a escada interior

FONTE: FIMS

 

 

Estudos para a escada interior

FONTE: FIMS 

 

 

Vista Aérea da cidade do Porto, cerca de 1930

FONTE: Cliché Foto Beleza, cedido por César Romão 

 

 

Conjunto de 3 lotes (nº 150 a 166)

FONTE: AHMP 

Planta de implantação de 3 fracções licenciadas em sequência, com plantas e alçados elaborados em conjunto. O nº 150 a 152, de Silvano Alves Dias, o nº 156 a 160, de Júlio Duarte de Sousa , e o 162 a 166 de Emília Sá.   

 

 

Alçado de Conjunto de 3 lotes (nº 150 a 166)

FONTE: AHMP 

 

 

Conjunto da Zona 6

FONTE: ESPÓLIO FOTOGRÁFICO PORTUGUÊS 




 

Edifício 156

Visita ao Edifício nº 156, integrado no Quarteirão VI (1927/1932), com André Camelo e Miguel Ribeiro. O projeto de fachadas de Marques da Silva procura encontrar um ritmo denso de progressão ao longo da Avenida, com a intenção de caracterizar o todo do espaço público, transformando-o na sala de visitas da cidade. 

 

 

Edifício 156

 FONTE: AHMP 

 

 

Edifício 156

FONTE: AHMP 

 

 

Edifício da Lutuosa de Portugal

FONTE: AHMP 

Edifício já não inserido na zona VI, de definição de alçado conjunto, mas que o resolve seguir em linhas gerais: ritmo de aberturas, alinhamentos de pisos, e elementos de composição de alçado. Contudo, em vez de se assistir a uma estilização dos elementos decorativos, como seria expectável num edifício um pouco posterior do que os restantes, assiste-se ao oposto.

 


Edifício da Lutuosa de Portugal

FONTE: AHMP 

 

 

Casa de Saúde da Avenida

FONTE: AHMP 


 

 

  

Conjunto de 2 lotes (nº 202 a 214)

FONTE: AHMP 

 

  

Edifício 202

FONTE: AHMP

 

 

Edifício 202

FONTE: AHMP

  

 

Edifício 214

FONTE: AHMP  

Prédio, da Companhia Fiação e Tecidos de Fafe, que irá construir também o edifício do gaveto, em 1948. Em legenda ao presente desenho: “Cópia do original fornecido pela Exma Câmara Municipal do Porto”. 

 

   

Edifício 214

FONTE: AHMP 

 

 

Edifício 214

 FONTE: AHMP

 

 

Avenida dos AliadosFONTE: http://www.espoliofotograficoportugues.pt/Default.aspx?ID=10&ProductID=PROD2147831

FONTE: ESPÓLIO FOTOGRÁFICO PORTUGUÊS

 

 

PRAÇA DO MUNICÍPIO, RUA FORMOSA, E RUA RODRIGUES SAMPAIO

FONTE: AHMP 

Fotografia de meados da década de 40, tirada da praça General Humberto Delgado, vendo-se o primitivo passeio revestido a calçada portuguesa, da Avenida dos Aliados, assim como os edifícios das ruas Formosa e de Rodrigues Sampaio. Ao fundo vê-se em construção, a praça D. João I. 

 

 

Vista aérea da Praça do Município

FONTE: Foto cedida pro César Romão (autoria provável de Fernando Romão).

Fotografia, provavelmente da década de 40, onde é possível ver o quarteirão inacabado.

 

 

Avenida dos Aliados, em 1957

 FONTE: ESPÓLIO FOTOGRÁFICO PORTUGUÊS

Imagem, tirada a partir da Câmara Municipal do Porto, onde é possível observar o quarteirão do lado nascente já concluído, e o quarteirão do lado poente ainda inacabado.

 

 

 

  

Avenida dos Aliados, em 1969

FONTE: AHMP 

Fotografia, de um conjunto de 9, relativas à visita ao Porto do Presidente do Conselho de Estado, Marcelo Caetano, na passagem pela Avenida dos Aliados e chegada aos Paços do Concelho. Na mesma, ao centro, é possível ver o edifício da Companhia de Tecidos de Fafe, e do lado esquerdo o edifício dos CTT em finalização de construção, ainda com andaimes.  

 

 

 

 

[A Construção dos Edifícios] <<< [Quarteirão do Jornal o Comércio do Porto] <<< >>> [Quarteirão da Clube dos Fenianos]