PRAÇA D. PEDRO

FONTE: AHMP

Fotografia de Domingos Alvão que serve de base ao postal acima representado.

IGREJA DOS CONGREGADOS NO FINAL DO SÉCULO XIX

FONTE: AHMP

Vista da Praça de D. Pedro e Casa da Câmara; da Igreja dos Congregados e da Rua de Sá da Bandeira, tirada da torre sineira do convento de S. Bento de Avé Maria, em finais do século XIX, demolido para dar lugar à Estação ferroviária de S. Bento (1890-1894).

  

 
BANCO PINTO DA FONSECA E IRMÃO

FONTE: AHMP

Licença de obras nº 172 de 1895, para a “construção de um prédio de casas no ângulo nascente da Praça de D. Pedro”.  Em 1910 é solicitada licença para demolições de estuques e soalhos para a instalação da Caixa Filial do Banco Nacional Ultramarino. 

Outras imagens disponíveis on-line: 

Fotografia de Domingos Alvão, da Implantação da República, em 1910.

Fotografia de Domingos Alvão, da década de 10.

   

  

PEDIDO DE INSTALAÇÃO DE UMA BALANÇA AUTOMÁTICA PÚBLICA

FONTE: AHMP

 

 

BANCO PINTO DA FONSECA E IRMÃO

FONTE: AHMP 

Licença 798 de 1913 relativa à alteração da escada interior.   

 

 

BANCO PINTO DA FONSECA E IRMÃO

FONTE: AHMP 

Desenho de pormenor da alteração interior. No corte é possível ver a diferente composição do pavimento do primeiro e do segundo andares – perfis metálicos e abobadilhas de tijolo no primeiro, e estrutura de madeira no segundo.

 

 

BANCO NACIONAL ULTRAMARINO

FONTE: AHMP

No dia de janeiro de 1917 inaugura a primeira agência do Banco Nacional Ultramarino no Porto, no edifício anteriormente ocupado pela casa Bancária Pinto da Fonseca e Irmão.

Licença 442 de 1923 relativa a uma alteração ao projeto de ampliação e remodelação do edifício do Banco Nacional Ultramarino, pelo qual o mesmo ganha mais um piso, uma mansarda e mais do que duplica o alçado para a Praça da Liberdade.

  


Vista da Praça D. Pedro, cerca de 1910

FONTE: AHMP

Postal onde se pode ver o BNU antes da ampliação. A mesma vista, na década de 40, com o BNU na sua configuração atual.

  


TAPUMES DA OBRA DE AMPLIAÇÃO DO BANCO

FONTE: AHMP

Fotografia, provavelmente de 1923, dos tapumes da obra de ampliação do edifício do Banco Nacional Ultramarino.

  

  

PRAÇA D. PEDRO NA DÉCADA DE 20

FONTE: AHMP

Postal, provavelmente de 1923, onde é visível o tapume e uma grua. 

 

 

Lado Nascente da Praça da Liberdade

FONTE: AHMP 

No centro da imagem os dois edifícios que foram alterados para receber a ampliação do Banco BNU.  

 

 




Praça da Liberdade e Avenida dos Aliados, década de 30

FONTE: ESPÓLIO FOTOGRÁFICO PORTUGUÊS 

Fotografia, do início da década de 30, onde já é visível a ampliação do edifício do BNU. Pode também ver-se o novo edifício do gaveto com a Rua Sampaio Bruno, Edifício do Café Suíço, e entre os dois, com uma cércea mais baixa, os edifícios que irão ser substituídos pelo edifício do Café Imperial.

 

 

EDIFÍCIO DO CAFÉ IMPERIAL – IMPLANTAÇÃO

FONTE: AHMP  

O projeto, de 1934 é da autoria do arquiteto Artur de Almeida Júnior. Corresponde à junção de dois lotes (ocupados anteriormente por dois edifícios) no local da antiga ala das celas dos monges do convento dos congregados.   

  

 

EDIFÍCIO DO CAFÉ IMPERIAL

FONTE: AHMP 

   


EDIFÍCIO DO CAFÉ IMPERIAL

FONTE: AHMP

Licença 910 de 1934 relativa à construção do edifício do café imperial. A métrica do cadastro anterior tem reflexo evidente na distribuição em planta e no desenho de alçado do novo edifício.

 


EDIFÍCIO DO CAFÉ IMPERIAL

FONTE: AHMP

Licença 1782 de 1936, correspondendo a um aditamento ao projeto, onde para além de pequenas alterações ao rés-do-chão, à forma da escada, também se estabelece o tratamento assimétrico da fachada principal, por forma a melhor fazer a relação com os distintas cérceas dos dois edifícios vizinhos, como se pode ver na fotografia de 1944. 

 


EDIFÍCIO DO CAFÉ IMPERIAL

FONTE: AHMP

Projeto assinado por Ernesto e Camilo Korrodi relativo à pormenorização da entrada do café Imperial.  

 


EDIFÍCIO DO CAFÉ IMPERIAL EM 1944

FONTE: AHMP





 
EDIFÍCIO DO CAFÉ SUÍÇO

FONTE: AHMP

Licença 83 de 1928, relativa à reforma dos prédios existentes, projeto assinado pelos arquitetos João Torres Villa e Rogério de Azevedo que pretende “tirar partido da sua situação privilegiada como também dar-lhe um carácter moderno e de certa simplicidade, graças a um estudo racional (...)”

 

 

EDIFÍCIO DO CAFÉ SUÍÇO

FONTE: AHMP 

 

 

CAFÉ SUÍÇO – ALTERAÇÃOFONTE: http://gisaweb.cm-porto.pt/units-of-description/documents/107074/

FONTE: AHMP 


[Quarteirão do Banco de Portugal] <<< >>> [A Construção dos Edifícios]