Banco Pinto leite

FONTE: FIMS

Alçado poente e alçado sul do prédio Joaquim Emílio Pinto Leite, Bank of London & South America, de 1922. Projeto não executado.

 

 

Praça D. Pedro

FONTE: AHMP

Vista do edifício preexistente na esquina da Praça D. Pedro, ainda com 4 pisos de altura.

 


Praça da Liberdade

FONTE: AHMP

Vista do edifício preexistente na esquina da Praça da Liberdade, já com 5 pisos de altura. 

 


Praça da Liberdade e Antiga Rua Elias Garcia

FONTE: AHMP

Vista do edifício preexistente, após a demolição dos antigos Paços do Concelho. Nesta fotografia, provavelmente de 1917, podem-se ver as fachadas dos edifícios da antiga Rua Elias Garcia, e que viriam a ficar ocultas pelas novas construções (executadas para garantir o novo alinhamento da Avenida). 

 


JUNÇÃO DO NOVO EDIFÍCIO COM A PREEXISTÊNCIA

FONTE: FIMS

Estudo para o alçado sul, de 1922. Desenho inicial do arquiteto José Marques da Silva, mostrando a forma de ligação (e integração) do novo edifício com o edifício preexistente (que anteriormente fazia a frente para a Rua Elias Garcia). 



Banco Pinto leite – Alçado para A Praça da Liberdade

FONTE: FIMS

Estudo para o Alçado de conjunto para a Praça da Liberdade e Rua Sampaio Bruno, equacionando a extensão do alçado para o lote vizinho a nascente. 

 

 

Banco Pinto leite – Alçado para A Praça da Liberdade

FONTE: FIMS

Estudo para a planta do piso térreo, de 1921 - Proposta de junção dos dois edifícios. Para melhorar as conduções de iluminação e ventilação recorre-se a dois pátios (saguões). 

 


Banco Pinto leite

FONTE: FIMS 

Planta do rés-do-chão, 1º andar, 2º andar e 3º e 4º andares, de 1922.

 


Banco Pinto leite

FONTE: FIMS 

Corte transversal, corte longitudinal, planta dos vãos dos telhados; planta, corte e alçado da fossa e planta topográfica com a localização do prédio Joaquim Emílio Pinto Leite, Bank of London & South America.

Mais informações: Licença 1603 de 1924 



Praça da Liberdade e Avenida dos Aliados

FONTE: ESPÓLIO FOTOGRÁFICO PORTUGUÊS 

Vista do edifício do Banco Pinto Leite, na década de 30.

 



Ampliação de 3 prédios

FONTE: AHMP 

Planta de implantação do conjunto e corte (não aprovado).

 


Ampliação de 3 prédios

FONTE: AHMP 

Alçado de conjunto, licença 412 de 1926.

 


Ampliação de 3 prédios

FONTE: AHMP 

Justaposição do novo edifício sobre o edifício preexistente.

 


Ampliação de 3 prédios

FONTE: AHMP 

Detalhe das cantarias ao nível da cimalha do edifício.

 


Ampliação de 3 prédios

FONTE: AHMP 

Detalhe das cantarias ao nível do rés-do-chão.

 


Ampliação de 3 prédios

FONTE: AHMP 

Alteração de fachada ao nível do rés-do-chão - café Sport. 

 





Banco Lisboa e Açores – planta de implantação.

FONTE: AHMP 

Projeto inicial de 1921. Ao contrário dos edifícios deste quarteirão anteriormente apresentados, o edifício do Banco Lisboa e Açores não corresponde à justaposição de uma nova construção ao preexistente, mas à construção total da área de implantação, numa distribuição espacial que se organiza em células, e onde se recorre a pátios para melhoria das condições de ventilação e iluminação. Banco Lisboa e Açores – alçado principal. 

 


Banco Lisboa e Açores – alçado principal.

FONTE: AHMP 

 


Banco Lisboa e Açores – alçado posterior.

FONTE: AHMP 

 


Banco Lisboa e Açores – cortes

FONTE: AHMP 


Banco Lisboa e Açores – Alçado principal

FONTE: AHMP

Aditamento de 1922.

 


Banco Lisboa e Açores

FONTE: ESPÓLIO FOTOGRÁFICO PORTUGUÊS 

 


Banco Lisboa e Açores

FONTE: ESPÓLIO FOTOGRÁFICO PORTUGUÊS 

 

 

Alçado de conjunto

FONTE: AHMP 

Alçado de conjunto que engloba o Banco Lisboa e Açores e o grupo de edifícios a norte, projeto do arquiteto Leandro de Morais (Banco Borges e Irmão, Lima Júnior e Cia, Lda e Companhia de Alcobaça). 

 


Banco Borges e Irmão - Alçado

FONTE: AHMP 

Alçado e Planta de implantação.

 


Banco Borges e Irmão - Corte

FONTE: AHMP 

Corte onde se evidencia a ligação entre o edifício preexistente e a nova construção. 

 

 

Obras da Avenida da Cidade na década de 20

FONTE: Foto Arquivo Global Imagens 

 


Sala de Bilhares anexa ao café Sport

FONTE: AHMP 

Em 1935 no edifício que fora do Banco Borges e Irmão é instalada a sala de bilhares do Café Sport. Apesar de, na fachada voltada para a Avenida, os edifícios não serem contíguos, nas traseiras, isto é, nas fachadas voltadas para a Travessa dos Congregados os lotes tocam-se, como se percebe na planta abaixo. 

  

Sala de Bilhares anexa ao café Sport

FONTE: AHMP 

 


Edifício Lima Júnior e Cia Lda - ALçado

FONTE: AHMP 

 


Edifício Lima Júnior e Cia Lda - Corte

FONTE: AHMP 

 


Edifício Montepio Geral – Planta de Implantação

FONTE: AHMP 

Corte onde se evidencia a ligação entre o edifício preexistente e a nova construção. 
 
 

Edifício Montepio Geral – alçado para a rua

FONTE: AHMP 

 
 

Alçado de conjunto para a avenida

FONTE: AHMP 

O projeto de edifício inicialmente destinado à Companhia de Alcobaça em a ser edificado para o Montepio Geral. Apesar de em linhas gerais se respeitar o alçado de conjunto inicialmente aprovado, o projeto para o Montepio faz algumas alterações sendo a mais evidente a proporção da cúpula e o remate ao nível do 4º piso, para permitir a inclusão da identificação da instituição mutualista. 

 

 

Avenida dos Aliados, lado nascente, em 1936

FONTE: ESPÓLIO FOTOGRÁFICO PORTUGUÊS

Vista da Avenida, em 1936.